Beleza

Especial Tattoo #1

17 de novembro de 2014

Olá, Donzelinhas.

Para essa primeira semana do blog preparamos uma série super especial de matérias sobre tatuagens. A tattoo nada mais é que desenhos permanentes feitos na pele. Sua origem data de 4000 a 2000 a. C. no Egito. O que hoje é moda, já foi proibido pela Igreja Católica na Europa no período da Idade Média. Curiosamente, o “pai” da palavra Tattoo é o capitão James Cook, descobridor do surf. Já no Brasil, a tatuagem elétrica (feita com a máquina) chegou na década de 60, em São Paulo.

No episódio de hoje vamos conhecer alguns amantes da arte e as histórias deles. Chega mais!

Alguns famosos exibem cada vez mais tatuagens. Esse é o caso dos gatíssimos Caio Castro, David Beckham e da diva Kat Von D. A tatuagem é uma forma de mostrar ao mundo a sua forma de se expressar e muitas vezes tem um significado marcante. O importante é que cada um conte sua história com um estilo próprio. Afinal, já viu livro de história sem figuras?

Para Luiz Guilherme, 20 anos, a vontade de se tatuar vem desde criança. Ele tem uma fênix nas costas e escolheu o desenho por simbolizar o renascimento e por gostar muito de pássaros.

Quando se decide fazer uma tatuagem, o primeiro grande passo é procurar um bom tatuador. Procure conhecer os trabalhos anteriores, a higiene do estúdio e leve em consideração o valor. Desconfie se for tudo muito barato.

De acordo com Aislândio Miranda, 35 anos, essa escolha é uma das partes mais importantes do processo. “Como todos sabem a tattoo é para vida toda, então uma tatuagem mal feita é para o resto da vida, então sempre procuro ver o trabalho do tatuador antes e perguntar a outras pessoas sobre o trabalho e se eles gostaram do trabalho realizado pelo tatuador”, concorda.

Flavia Vargas, 27 anos, garante que presta atenção antes e durante na questão da higiene do estúdio e nos cuidados posteriores. “É importante ver a agulha descartável e esterilizada. Depois, acho muito importante cuidar passando pomada cicatrizante e protegendo com o pvc, até sair totalmente a tinta. Muitas tatuagens ficam ruins não pelo tatuador, mas porque a pessoa não cuidou corretamente. E para o resto da vida, protetor solar! É sempre bom passar uma camada bem grossa em todas as tatuagens!”, indica.

Flávia Vargas chama atenção para a higiene do estúdio (Foto: Arquivo/Flavia)

Flávia Vargas chama atenção para a higiene do estúdio (Foto: Arquivo/Flávia)

Já Tuili de Freitas, 23 anos, tem seis tatuagens e garante que é muito importante estar certa do desenho. “Procuro sair da mesmice e criar coisas novas, tatuagem, para mim, é algo pessoal e íntimo, que registra para sempre uma fase da vida. Todas elas significam algo especial”, afirma.

Apesar de atualmente a tatuagem ser uma arte bem difundida na sociedade e aceita até pelos ramos mais conservadores, ainda há pessoas e empresas que implicam com a arte na pele dos outros.

Leila do Valle, 58 anos, começou a se tatuar aos 40. Hoje, Leila possui 11 desenhos distribuídos pelo corpo. Ela afirma sofrer preconceito devido à idade. “Muita gente me critica por eu não ser mais novinha. Mas eu não estou nem aí, a idade está na mente, tem gente que me olha com espanto. Eu amo tattoos!”, diz.

Mas, de acordo com o gerente de Recursos Humanos, Jason Sagara, 36 anos, quem prefere medir as pessoas por rótulos, ao invés do que elas realmente são, está deslocado do seu próprio tempo e sociedade. “Profissionalmente o que me interessa é o caráter, competência e o resultado que a pessoa pode mostrar, e a minha experiência mostra que a tatuagem não é métrica para isso”, afirma.

Histórias em desenhos

A tatuagem de Rafael virou foco de turista em Cuba (Foto: Arquivo/Rafael)

A tatuagem de Rafael virou foco de turista em Cuba (Foto: Arquivo/Rafael)

As artes feitas pelo corpo simbolizam uma história. Para Rafael Massadar, 33 anos, possuidor de quatro tatuagens, tem uma história especial sobre uma em particular. “A mais interessante foi a do Che Guevara que tenho na perna. Viajei para Cuba e quando fui visitar o ministério que tem a imagem da tatuagem na fachada do prédio, os outros turistas fizeram fila para tirar foto da minha perna com o prédio ao fundo”, conta.

Lorrana Carvalho, 27 anos, conta: eu havia acabado de fazer minhas tatoos, estava toda empolgada e fui comprar uma sandália que mostrasse a do pé. Estava no local, experimentado vários tipos de calçados, eis que me chega uma mulher e senta ao meu lado. Percebi que ela ficava me olhando e deu um palpite numa das sandálias. Respondi que eu não queria aquela, pois iria esconder minha tatuagem.

Daí a abençoada me responde que seria melhor esconder mesmo e foi mais além dizendo que não entendia como as pessoas tinham coragem de fazer isso com o próprio corpo, que as pessoas envelheciam, ficavam com a pele enrugada e com aquele desenho feio enrugado também, e blá blá blá… E finalizou dizendo que eu deveria ter pensado nisso antes de fazer uma tatuagem porque eu iria me arrepender ao ficar velha.

Eis que me viro para a dita cuja e apenas digo: não me preocupei com isso porque estou doente e o médico disse que não tenho mais que um ano de vida, não terei a chance de ficar enrugada como a senhora, então acho que não preciso me preocupar se minhas tatuagens ficarão feias né?! Sei que foi algo muito mórbido e Papai do céu deve ter ficado bravo comigo, mas foi engraçado olhar para a cara da mulher que ficou sem saber o que dizer. E eu apenas saí de perto dela rindo e comprei a sandália do jeito que eu queria, para mostrar minha nova tattoo.

Você Também Poderá Gostar

Comentários

Deixe seu comentário