Boys, COMPORTAMENTO, Relacionamentos

Matheus Conga para o mundo

26 de novembro de 2014

Um dos maiores desafios para um homossexual é a hora de se assumir como tal diante da sociedade. Além dos preconceitos vividos na rua, alguns não encontram em casa a compreensão que necessitam. Esse é o caso do nosso entrevistado. O Delírios de Donzelas conversou com Matheus Vasconcellos, adolescente, gay, que encara as dificuldades com uma personalidade incomum e autêntica.

Matheus Vasconcellos, 17 anos, se assumiu homossexual aos 15. Matheus é conhecido como Conga. O codinome, utilizado por ele como nome de guerra, surgiu após a gravação de um vídeo para o YouTube com o jovem dançando “Conga la Conga”, da Gretchen. Querido por seus amigos, Matheus teve problemas com sua família. Mas mesmos eles não aceitando sua opção sexual, o adolescente encarou todos com pulso firme e hoje se considera uma mulher.

Matheus Vasconcellos, vulgo Conga, é uma figura conhecida da cidade de Seropédica (Foto: Mariana Ribeiro)

Matheus Vasconcellos, vulgo Conga, é uma figura conhecida da cidade de Seropédica (Foto: Mariana Ribeiro)

A confissão

Delírios de Donzelas: Quando você se descobriu gay?
Matheus Conga: E lancei um vídeo na internet dançando “Conga La Conga”, da Gretchen. Foi aí que eu dei o primeiro passo para assumir a minha homossexualidade e todo mundo ficou falando do meu vídeo. Logo depois, no dia 09 de outubro, fui para a parada gay de Copacabana e no dia seguinte eu me assumi para minha mãe. Ela perguntou para onde eu tinha ido e contei que tinha ido para a parada gay e ela ficou reclamando, então contei de uma vez por todas! Falei assim: “Sou gay e você vai ter que me aceitar assim!”. Ela disse que não me aceitaria e começou a resmungar.

Como sua mãe lida com isso hoje?
MC: Hoje em dia ela aceita muito mais, mas não é cem por cento. Ela joga na minha cara as minhas amizades, acha que um dia eu vou voltar a ser homem, coisa que eu nunca fui, porque eu tenho certeza que já nasci assim. Eu não vou mudar mais, já decidi que é assim que eu quero ser. Mas ela acha que se um dia eu me desprender das minhas amizades, eu não vou ser mais isso que eu sou hoje.

Antes dos 15 anos você já apresentava características de outra opção sexual?
MC: Nasci e cresci inserido na Igreja. Eu era do ministério de dança e desde essa época eu tinha atração por outros homens. Mas como eu era muito novo, tinha medo de dizer isso para alguém. Mas quando entrei para a Banda Marcial de Seropédica (FAMUSE) conheci muitos amigos homossexuais e comecei a me descobrir e me assumir para todo mundo que eu era gay.

Aceitação

Como é sua relação com seus irmãos?
MC: Tenho dois irmãos e não falo com nenhum deles. Com o mais novo, apenas falo “oi “. O mais velho sempre me batia, até a última vez que nós nos vimos. Minha mãe passava a mão por cima da cabeça dele até o dia em que ele tentou colocar fogo dentro de casa para me matar. Ela colocou ele para fora de casa, mas depois de tudo, acabou aceitando ele de volta. Hoje, passo por ele e finjo que nem conheço. Eu e minha mãe nos mudamos e moramos só nós dois.

Qual a sua relação com o resto da família?
MC: As únicas com que falo na minha família são duas tias minhas, que são minhas tias Vanusa e Betta. Elas são as únicas que me aceitam e gostam de mim como eu sou.

Você em momento nenhum disse do seu pai, como é sua relação com ele?
MC: Ele não fala comigo desde que ele assistiu o vídeo. Ele não gostou e me bateu pela primeira vez, dizendo que nunca mais ia olhar na minha cara e que eu não era mais filho dele. Meu pai já era separado da minha mãe desde que éramos pequenos, passa e nem fala comigo. Não fica no mesmo lugar do que eu. Eu nunca tive um pai do meu lado. E minha mãe sempre trabalhou e eu tive que aprender tudo sozinho com o mundo.

“O povo tem que perceber se todos fossem da mesma cor, todos com o cabelo igual, roupa igual, forma igual não ia ter graça. Quem quer viver em mundo que todo mundo é igual? Temos que ser iguais no sentido que somos pessoas e diferentes porque cada um tem sua opção.”

Matheus é adorado por todos (Foto: Mariana Ribeiro)

Matheus é adorado e conhecido por todos (Foto: Mariana Ribeiro)

Ser Matheus Conga

Como são suas amizades?
MC: Já tive muitas mas nem todas foram verdadeiras. Só tive uma amiga que está comigo até hoje desde pequena, que é a Leticia Marques que sempre me aceitou e esteve do meu lado. E outras que eu conheci mais tarde, como a Andréia e a irmã dela que produziram meu vídeo.

O que é ser Conga?
MC: Me sinto bem por ser quem eu sou. Passo nas ruas e as pessoas já me conhecem. Eu passo nos lugares e as pessoas já cantam a música. As pessoas gostam de mim do jeito que eu sou, me veem bem assim. Não mudarei pelo que as pessoas querem.

Já teve relacionamentos?
MC: Tive dois relacionamentos. O primeiro aos 14 anos foi virtual. Conheci um menino, só que ele morava muito longe. Ele até gostava de mim, e ainda gosta, mas diz que não ficaria comigo hoje pelo que me tornei, porque quando namorávamos eu não era assumido. Hoje em dia eu sou assumido e não vou mudar o meu jeito por ele e viver infeliz. Hoje eu sou apto ao relacionamento aberto e terminei por isso.

Quais as dificuldades que você enfrentou e/ou enfrenta?
MC: Hoje eu tenho meu trabalho e não passei pela dificuldade de não me aceitarem em empregos. Já tenho meus amigos, minhas coisas, e não tive muitos problemas. Mas uma coisa que eu tenho medo é sair para lugares mais longes. Porque Homofobia me machuca, ainda mais quando vem dos membros de uma igreja. Agora no fim do ano eu fui a igreja agradecer por tudo que eu recebi em 2013 e as pessoas me olhavam de outro jeito, me criticavam. Às vezes quem me olhou assim tinha um homossexual dentro de casa mas não enxerga!

Você já sofreu homofobia? Qual é a sua opinião?
MC: Esse preconceito tem que acabar! Eu passo na rua e passam e falam besteiras como “Isso tem que acabar!” “Isso tem que morrer!” Mas não ligo para isso, por que eu sei que eu sou uma pessoa como qualquer outra, eu trabalho, estudo, ajudo minha mãe em casa eu sei minha índole e isso é minha consciência não preciso mais de ninguém para isso. E com tudo que eu já passei só me fortaleceu, se eu não fizesse por mim ninguém faria. Se eu não correr atrás não vou ter nada para mim.

Fãnático – Conga Little Monster

Sou fã fanático por Lady Gaga. Ela é uma cantora incrível e as músicas dela me fazem feliz. Ela é o motivo da minha felicidade. Como eu tive uma família muito ausente foi nela que eu busquei minhas forças. Quando Gaga veio ao Brasil, falei que se eu não fosse no show dela me mataria e na época eu não trabalhava. Minha sorte foi que estava em época de eleição e trabalhei para um vereador. Ele me pagou R$400 para distribuir panfletos na rua. Só recebi o dinheiro duas semanas antes do show. Eu já estava achando que não iria conseguir, e estava cavando minha cova para eu me enterrar!

Conga se considera um little monster (Foto: Mariana Ribeiro)

Conga se considera um little monster (Foto: Mariana Ribeiro)

Busquei meu sonho e fui saber onde vendia o ingresso para show dela. Tinha que chegar no City Bank Hall e eu não sabia onde era. Eu pedia informações, num sol de matar, e por eu ser homossexual ninguém queria me dar. Tive que entrar em vários ônibus. Saí de casa 10h e cheguei na central 12h, fiquei desse horário até às 19h para comprar o ingresso e cheguei em casa às 22h, com meu ingresso nas mãos. O povo todo de queixo caído porque achavam que eu não ia conseguir.

Fui para o show e foi o melhor momento da minha vida. Mas eu não sabia onde descer do ônibus, desci no lugar errado e tive que andar a Avenida Salvador Allende toda. Realmente foi uma avenida inteira que valeu a pena. Não me arrependo de nada! De quebra, ainda saí no jornal extra, mas só vi um ano depois a minha foto no show. Foi tanto sufoco que eu passei, mas Deus me recompensou com minha foto no jornal. O povo fala tanto de mim que inventaram até que eu tinha desmaiado quando o show começou e que eu não tinha assistido nada. Mas não foi nada disso, assisti tudinho! Eu fui de pista premium e na parte do show que Lady Gaga canta a música do Alejandro, eu estava bem perto do palco. Ela começou a ler as plaquinhas com o nome dos fãs e a Lady Gaga me chamou de “Matheusano”. Eu chorei muito.

E o que você acha das opiniões que dão sobre a sua vida?

MC: Eu acho que opinião é igual conselho: se fosse bom, não era de graça! Eu aceito sim as opiniões, aquelas que são boas eu pego e guardo para mim. As que eu não gosto, eu descarto.

Uma frase

Faça por onde que eu te ajudarei, Deus diz! (Aprendi com a minha amiga Inês Brasil)

Objetivo de vida

Terminar meus estudos e fazer um curso técnico de estética para aprofundar no ramo que eu atuo.

Virar drag queen?

Se eu virar drag queen, meu nome vai ser Michaella de La conga de HaHaHa de Raio Laser. Michaella, Matheus Vasconcelos e Matheus Conga são as mesmas pessoas, mas de formas diferentes que não expresso sempre.

Um livro

Um livro que eu aconselho é o da Bruna Surfistinha “Doce veneno de escorpião”. Adorei o livro pela história de vida dela, história bonita que mostra a superação e eu me identifico por tudo o que ela passou na vida, e mesmo assim conseguiu vencer. Apesar do sofrimento ela tem dignidade e caráter, é isso que eu admiro nas pessoas.

Conga para os amigos

Andréia Silva, 20 anos, produziu o vídeo da Conga que estourou na internet. Ela afirma que Matheus sempre foi a mesma coisa que hoje, só que sem rímel e tatuagem. Conga é o diamante brilhante em Seropédica, conhecido por todos. Renan de Oliveira conhece Matheus desde que ele era pequeno, e afirma que sempre soube que ele tinha outra opção sexual pelas suas atitudes quando criança. “Ele desenhava lindos vestidos para minha mãe” – conclui Renan.

Assista o vídeo que deu origem ao nome artístico ao Matheus:

*Entrevista feita por Mariana Ribeiro

Você Também Poderá Gostar

3 Comentários

  • thatha.chris7@hotmail.com'
    Reply Thayne Resende 26 de novembro de 2014 at 15:45

    Parabéns! Curti muito sua entrevista e é isso mesmo lute sempre por aquilo que te faz feliz. Seja o que você é, e não se importe com a opinião das outras pessoas. Pra mim foi um prazer ter te conhecido na caravana, e a primeira vez que vi já te adorei, e agora te tenho entre os meus amigos, fazendo parte da minha vida. Conte comigo sempre Conga! :*

    • eftk0yjj9@gmail.com'
      Reply Princeso 25 de maio de 2015 at 23:26

      Gili disse:Deu saudades de qdauno fui ao Rio! A cidade e9 linda e suas fotos ne3o preciso nem falar, ne9!? Todo mundo que olha nota sua percepe7e3o Adorei!

  • danrley2008carvalho@hotmail.com'
    Reply Danrley Carvalho 27 de novembro de 2014 at 19:01

    Conga Sua Lindaa , Meus Parabéns ,, Adorei a Entrevista 🙂
    Te desejo tudo de bom , muita felicidade, Muita Força e que você continue sendo sempre essa pessoa maravilhosa .. Bjooo !!

  • Deixe seu comentário