LIVROS, Resenhas

Resenha: “Julieta” de Anne Fortier

18 de novembro de 2014

Olá pessoas, esta é minha primeira resenha no Delírios de Donzelas e espero que vocês gostem. Irei postar em grande parte resenhas sobre romance. E claro que  uma das minhas maiores paixões não poderia ficar de fora: Romeu e Julieta.

Quem nunca ouviu falar sobre a terrível e trágica história destes dois jovens amantes que, por amor, tiveram suas vidas perdidas pelas desavenças de suas famílias rivais? Eu sempre fui apaixonada por Romeu e Julieta e, no mesmo ano, pude ler dois livros baseados na trama de William Shakespeare. Irei   apresentar os dois livros, o primeiro deles será “Julieta“.

Julieta” é um romance de estréia da escritora Anne Fortier. A escrita remete a ‘Dan Brown’, e é grande, são 448 páginas! Isso é bom para quem gosta muito de ler, porém pode ser cansativo, por exemplo, quando você quer dormir e não consegue terminar o capítulo, e quando percebe já passou das duas da manhã.


SINOPSE:

Julie Jacobs e sua irmã gêmea, Janice, nasceram em Siena, na Itália, mas desde os 3 anos foram criadas nos Estados Unidos por sua tia-avó Rose, que as adotou depois de seus pais morrerem num acidente de carro. Passados mais de 20 anos, a morte de Rose transforma completamente a vida de Julie. Enquanto sua irmã herda a casa da tia, para ela restam apenas uma carta e uma revelação surpreendente: seu verdadeiro nome é Giulietta Tolomei. A carta diz que sua mãe havia descoberto um tesouro familiar, muito antigo e misterioso. Mesmo acreditando que sua busca será infrutífera, Julie parte para Siena. Seus temores se confirmam ao ver que tudo o que sua mãe deixou foram papéis velhos – um caderno com diversos esboços de uma única escultura, uma antiga edição de Romeu e Julieta e o velho diário de um famoso pintor italiano, Maestro Ambrogio. Mas logo ela descobre que a caça ao tesouro está apenas começando. O diário conta uma história trágica: há mais de 600 anos, dois jovens amantes, Giulietta Tolomei e Romeo Marescotti, morreram vítimas do ódio irreconciliável entre os Tolomei e os Salimbeni. Desde então, uma terrível maldição persegue essas duas famílias. E, levando-se em conta a linhagem e o nome de batismo de Julie, ela provavelmente é a próxima vítima. Tentando quebrar a maldição, ela começa a explorar a cidade e a se relacionar com os sienenses. À medida que se aproxima da verdade, sua vida corre cada vez mais perigo. Instigante, repleto de romance, suspense e reviravoltas, Julieta – livro de estreia de Anne Fortier – nos leva a uma deliciosa viagem a duas Sienas: a de 1340 e a de hoje. É a história de uma lenda de mais de 600 anos que atravessou os séculos e foi imortalizada por Shakespeare. Mas é também a história de uma mulher moderna, que descobre suas origens, sua identidade e um sentimento devastador e completamente novo para ela: o amor.


“— Existe a luxúria, como sabeis, e existe o amor. São coisas aparentadas, mas, ainda sim, muito diferentes. Comprazer-se com uma exige pouco mais do que uma fala melíflua e uma muda de roupa; para obter o outro, porém, o homem tem que abrir mão de sua costela. Em troca, sua mulher desfará o pecado de Eva e o reconduzirá ao Paraíso. —” (trecho favorito)

SONY DSC

Gostei bastante do livro, por mais que todos já conhecemos a história clássica, Anne criou a personagem Julie bastante moderna, mostrando que histórias podem ser contadas de histórias já contadas e ganhar uma nova forma.

O livro é dividido em duas narrativas, o que realmente me fez associar com o jeito de escrever de Dan Brown, a primeira segue a narrativa de Julie nos dias atuais e a segunda contando a verdadeira história de Romeu e Julieta, através das cartas que a mãe de Julie a deixou como ‘herança’. Só o fato da autora brincar com Shakespeare, mostrando em outro contesto as várias versões de uma mesma história e que diferente da história escrita pelo dramaturgo (que criou sua tragédia em Verona), a verdadeira história vinha de Romeo Marescotti e Giulietta Tolomei em  Siena localizada na Itália no ano entre 1340. A narrativa é impecável, há uma divisão até na forma da escrita entre as duas narrativas.

O começo do livro não é muita coisa, Julie é a garota que vive a sombra de sua irmã que sempre se destacou mais do que ela. Mas com a morte de sia tia-avó Rose, a vida de Julie começa a mudar, trazendo novas descobertas e dando a personagem uma dose de coragem tornando-a bastante intensa e cativante. O livro possui bastante reviravoltas e muito mistério. É do tipo: Você vai se surpreender com todas as coisas que irá ler. É como se a autora brincasse com os personagens, fazendo você questionar se deve ou não confiar em cada capítulo.

Como romance posso dizer que não falta nada, o livro é bem escrito, totalmente estruturado e vamos combinar: Romeu e Julieta? Não tinha como dar errado! A capa do livro por si só já diz o quanto o livro é encantador. As melhores citações eu acredito que foram de Romeu Marescotti, não tem como não se apaixonar pelo livro!

“Nunca saberei quanto tempo durou nosso beijo. Foi um daqueles momentos que nenhum cientista jamais consegue reduzir a números, por mais que se empenhe. Só sei que, quando enfim o mundo voltou rodopiando, vindo de algum lugar agradavelmente distante, tudo estava mais luminoso do que nunca e valia mais a pena. Foi como se todo o cosmos houvesse passado por uma reforma exorbitante desde a última vez que o olhara… ou talvez eu nunca tivesse olhado direito.”

Eu não sei mais o que escrever sem começar a contar spoilers sem parar, e perderia toda a graça da leitura. Espero que tenham gostado e quem já leu, comente sobre. Adoraria saber a opinião de vocês.

67170_363709293712427_1460206177_n

Você Também Poderá Gostar

Comentários

Deixe seu comentário