COMPORTAMENTO, LIVROS

Resenha: “Nove meses” <33

16 de abril de 2015

Oi, meninas! Tudo bem? Hoje vim falar sobre o livro “Nove meses” da autora Lucia Seixas.

Ele trata da história de Nanda e Leandro, um casal de adolescentes que vão ter um filho. Portanto aborda temas importantes como gravidez na adolescência, a reação ao saber que está grávida, o futuro de uma jovem grávida, como contar para os pais e o namorado, se deve casar ou não e como é a reação do pessoal da escola.

Quando li refleti bastante sobre anticoncepcionais e que mesmo estando tão adiantada a medicina ainda existem casais que se relacionam sem métodos contraceptivos podendo além de gerar uma gravidez, trazer DST’s.

Pensei também no caso da Europa em que o índice de natalidade é baixíssimo e possui uma das populações mais velhas do mundo. As pessoas não pensam como antigamente na construção da família e vão deixando para cada vez mais tarde tentar engravidar e essa gravidez tardia é de risco tanto para mãe como para o filho. Pensa-se em estudar e investir na carreira profissional e esquece-se do resto.

Também veio na minha cabeça a questão do aborto e sua legalidade ou não. A mulher tem o direito de escolher o que fazer com o seu corpo? Devemos continuar com esses açogues que não garantem um pingo de segurança para a nossa população feminina? Não estou falando se iria aumentar ou não o número de abortos, mas acho que deveríamos ter o direito de tratar da nossa saúde e sem correr riscos em clínicas ilegais. Quando começa a vida? Por que abortar? Não seria melhor doar, ou seja, colocar para a adoção? E ainda com isso vem à questão religiosa para confundir ainda mais nossa cabeça…

teen preg

Foto: Pinterest

Temos que arcar com as consequências, entretanto aquela vida não escolheu nascer. O nosso primeiro direito natural é o direito a vida. Se formos ameaçados podemos agir como legítima defesa, no entanto como um feto pode se proteger? Não seria uma luta injusta? Como é possível matar alguém que nem veio ao mundo fora da barriga? Como ser desumano? O ideal é raciocinar e pensar que com as responsabilidades vêm às consequências e com isso é necessária uma decisão, ou melhor, solução.

Gravidez não é doença. Por que ao olhar uma mulher nova ou com mais de 40 anos grávidas agimos como se fossem seres de outro planeta? Elas são corajosas e merecem respeito como qualquer um. E sim, essas são privadas como qualquer grávida de programas, como por exemplo, fazer uma trilha. E não tem mais que pensar somente nelas porque a partir daquele momento é uma dupla literalmente inseparável. Não tem como se sentir só quando um bebê está dentro da sua barriga. E quando ele começa a crescer começa a chutar fazendo questão de provar sua existência.

Como foi a primeira vez que sentiu o coração do seu filho? Deve ser uma das sensações mais emocionantes de toda a sua vida. A alegria ao descobrir o sexo e resolver finalmente o nome daquele pequenino.

Como é para uma criança ser tia? Sim, é possível. E como explicar para ela que não é sua irmã e sim sua sobrinha?

O papel importante da mãe em todos os momentos da vida. Desde quando se é totalmente dependente até quando você é responsável por si mesmo.

Como ocorre a gravidez psicológica? Como tratar e lidar?

Como é o procedimento para adotar um filho? Por que ainda existe preconceito quanto a essa questão? E o que é família? Por que existe tanto preconceito com famílias formadas a partir de uniões homo afetivas?

O simbolismo do anel de casamento, namoro, noivado… O que importa não é o anel, mas o que ele representa para a sociedade e como faz sentir que a união está estável do casal.

Foto: Isabela Barcellos

Foto: Isabela Barcellos

Como é a vida de uma mãe solteira? E de pais separados? E quando algum deles já faleceu? E de pais ou mães do mesmo sexo?

Até onde vai a liberdade que os pais têm sobre os seus filhos e vice-versa?

Como escolher parto normal ou cesariana? Os interesses dos pais são diferentes dos que não tem filhos, inclusive a maturidade ocorre de maneira diferente quando se tem um filho.

Como escolher o método para engravidar? Escolhe-se? Ou simplesmente ocorre?

Reproduzir devia ser tratado de forma natural. O ser humano nasce, cresce, se reproduz ou não e morre. Por que tratar a reprodução devido à utilização do sexo por tabu? Os animais que são irracionais não estranham o fato do nascimento, por que seres racionais deveriam estranhar? É por serem irracionais que não estranham? Na verdade, só ocorre o estranhamento em certos casos humanos? Como de adolescentes e pessoas mais velhas?

Hdwy.com

Hdwy.com

E como deve ser o parto? Dói?

Essas são algumas questões que vieram a minha cabeça quando eu estava lendo o livro. Quais são as respostas? Não sei. “Só sei que nada sei.” Hahahah Na verdade, eu tenho algumas respostas no meu pensamento, mas ele não é universal. Uns devem pensar de uma maneira e outros diferente, uns ainda vão obter respostas com a vida e outros simplesmente esquecer. O que importa afinal?

Recomendo a leitura. O livro possuí 111 páginas, ou seja, é fininho e dá para ler sem pressa. Sua escrita é de fácil acesso, podendo fazer com que todos compreendam. E sua abordagem sobre o tema polêmico nos faz refletir e como hahahah Eu acho que poderia até ser livro paradidático porque trata de assuntos muito relacionados à sociedade atual. Mas se classificar dessa forma, talvez, muitas pessoas deixem de ler porque leitura forçada não é legal. Mas isso já é outro debate rs

E você? Já leu esse livro? Quer ler? Já conhecia a escritora? Só uma dica que dou para vocês: a literatura nacional está maravilhosa. Eu sei que internacionalmente existem escritores magníficos, mas quando percebemos que os nossos são de alto nível dá um orgulho imensurável.

 

Lucia Seixas

Lucia Seixas

 

Para mais informações sobre a autora: www.luciaseixas.com

Você Também Poderá Gostar

Comentários

Deixe seu comentário