Beleza, BEM ESTAR, Boa Forma

Quando eu resolvi me cuidar e me amar

7 de janeiro de 2016

Ser gostosa deve ser o desejo de boa parte das mulheres. Mesmo aquelas que se amam independente do número marcado na balança querem mudar alguma coisa. Afinal de contas, você conhece alguma mulher 100% satisfeita? Pois é, esse texto é sobre mim: Carolina Danelli, 23 anos, com genética que nada ajuda a ter um corpo de panicat, mas que também não sonha em virar a Ana Hickman. Quero te convidar a conhecer a minha história e meu novo propósito.

Sempre fui aquela criança magrela: não tinha peito, não tinha bunda, minhas pernas eram dois gravetos. Com 12 pra 13 anos a história começou a mudar. A balança deu um salto: 13 anos e 68 KG. Tecnicamente esse é o meu “peso ideal” atualmente, 10 anos mais velha. Enfim, comecei a fazer dieta e com 14 entrei para a academia pela primeira vez. Nessa época eu tinha o colesterol meio alterado para uma criança, sem falar no problema de coluna sério.

Só para vocês entenderem, eu devo medir 1,70 desde mais ou menos essa época. Sempre fui grandona, com genética portuguesa e italiana, ou seja, todo mundo com peitão, bundão, coxão. Não somos gordas, somos grandes.

Voltando…

Devo ter ficado uns 3 meses na academia, depois logo fui estudar em outra cidade. Voltei para a academia anos mais tarde, quando já estava no segundo ano de faculdade, com 19 anos. Aaaaah, eu me achava gorda, quando na verdade era assim:

262107_1922516536023_4475509_n

Mas como falei, sempre fui grande.

Em 2012 voltei para o Rio de Janeiro e comecei a trabalhar e estudar. Não tinha tempo de nada, mal comia. Comecei a me alimentar pior do que já era, a não fazer nenhum tipo de exercício físico.

Até que demorou para piorar a situação. Em 2013 comecei a engordar e as taxas voltaram a alterar. O “melhor” foi descobrir que nada que fizesse poderia ajudar, pois o problema com o colesterol era crônico, ou seja, genético e só passa com remédio. Então o inesperado aconteceu: alergia a um composto do remédio. Segundo o médico, devido a isso eu deveria ter vida de atleta! Mas como??? Acordava as 4h30 da manhã e chegava em casa 23h. Só se fizesse algo nesse meio tempo. IMPOSSÍVEL!

O ápice foi início de 2015: 80 kg! não tenho foto dessa época

Terminei um namoro e consegui emagrecer 9kg. Quase todos recuperados durante o ano. 2015 definitivamente foi o ano mais louco da minha vida: trabalho, TCC, estudo.. A ansiedade nível hard! Desconta na comida!

Foi então que coloquei uma meta na minha vida: precisava emagrecer! Minha saúde tava gritando. O joelho doía, os pés inchavam, colesterol e triglicerídeos lááááá no alto. Sem contar a parte da auto estima, não é mesmo? Afinal, tive quase que renovar meu guarda-roupa, pois as roupas não cabem mais. Me lembro de vestir 40/42 desde os 10 anos de idade. Comprar 44, sutiã GG, diminuiu o amor-próprio, confesso.

Quem está acima do peso sabe o quanto é ruim as pessoas te lembrarem o tempo todo que você tá gorda. Cara, a gente tem espelho e se lembra disso o tempo todo! Ninguém precisa ficar falando que a roupa tá justa, que você tem que “tomar vergonha na cara”. Vocês não contribuem em nada fazendo isso. Sem falar é claro no blablabla: você não vai arrumar homem assim (Pffffff…), você tem que se cuidar mais, ser mais vaidosa. HEY, EU ME ACHO LINDA MESMO ACIMA DO PESO, TÁ LEGAL?! Me acho muito melhor do que muita magrela por aí, e não é você que vai destruir isso em mim!

Mas enfim, decidi que pela minha saúde preciso emagrecer. Tomei iniciativas:
1. Me matriculei numa academia: musculação e zumba. Na avaliação descobri que estou pouco acima do peso, uns 3 Kgs só. Mas o nível de gordura no meu corpo é bem alto. Preciso diminuir uns 10% para chegar no normal. Aos leigos, o problema nem sempre é o seu peso. O índice de gordura corporal é o que determina se a pessoa é obesa, se tem riscos cardíacos.. Então você até pode ser uma magra obesa, ou perto disso, entende?

2. Comecei a fazer dieta: não é nada daquelas coisas de ficar sem comer, cortando os meus pulsos. Afinal de conta, eu tenho a cabeça de gordo. Como por prazer. Passei a comer de 3 em 3 horas, a noite evito carboidratos. Diminui a quantidade de carboidratos nas refeições e também os doces. Refrigerante? Fim de semana e olhe lá.

3. Beber água: até que já bebia bastante, mas, por precaução, instalei um app no celular que calcula a quantidade de água que devo beber de acordo com meu peso. Bem legal!

4. Comecei a tomar Óleo de Cártamo: um post todinho sobre óleo de cartamo, mas ele basicamente ajuda na redução de gordura e melhora o colesterol.

5. Ganhei uma bike: moro num sítio e passarei a andar de bicicleta para os lugares que precisarei ir. Exemplo: da minha casa à academia são 4 Km. Viu? 8Km de pedalada por dia. 😉

6. Passei a confiar em mim: acho que esse foi o passo mais importante. Passei a me dizer que sou capaz de mudar a minha realidade. Não quero virar modelo e nem a nova namoradinha do Brasil. Mas coloquei na minha cabeça que para ter um futuro saudável preciso começar agora, enquanto meu metabolismo ainda é novo. Não quero precisar de cirgurgias, nem ficar dependente de remédios. É uma escolha pra vida, uma nova vida. Ser saudável, sem perder os prazeres que tenho.

Quando entrei na academia, a dona falou pra mim: você vai conseguir atingir o seu objetivo se fizer as coisas que gosta e com prazer. E assim será! Outra coisa que me motiva é ter entrado numa academia para mulheres. Tem gente de todas as idades, profissões.. mas o que me encanta é ver senhorinhas com idade para ser minha vó na mesma batalha que eu. *o*

Bem, contei para vocês os meus motivos para mudar de vida. Espero em breve fazer um novo texto contando meus resultados. E conto com vocês para continuar, assim como espero inspirar outras garotas. Lembrando sempre que você deve fazer o que acha melhor para você. Se amar em primeiro lugar.

Comentem, dêem suas opiniões e relatos nos comentários. É sempre um prazer ouvir/ler vocês. :*

Você Também Poderá Gostar

Comentários

Deixe seu comentário