Relacionamentos

Amar é arte

30 de agosto de 2016

Um certo sociólogo disse uma vez que “vivemos em tempo líquido, nada é para durar” e de certa forma transformamos uma frase sobre consumo em realidade também nos nossos relacionamentos. Atualmente vivemos em uma sociedade baseada em amores de Tinder, contatinhos assumiram o lugar das mensagens especiais e os crushs substituem aquela pessoa única. As pessoas estão doentes e o sintoma mais presente é a falta de esperança.

É muito comum vermos pessoas dizendo que estão fazendo papel de trouxa e competindo quem sente menos: eu não ligo, pego mas não apego, cada dia um crush diferente, e por aí vai. Não vou negar, eu fiz parte dessa trupe, mas percebi que amar é arte, se decepcionar faz parte. É óbvio que cada um tem a sua história, o seu passado e sua forma de lidar com isso, mas se isolar, se colocar numa cela, mesmo que em meio a milhares de outras pessoas, só te faz uma pessoa mais solitária, seca. Era assim que me sentia. A real é que não encontrava alguém que realmente valesse a pena, que me fizesse sorrir com uma mensagem, que me fizesse sorrir acordada.

Há um tempo atrás estava com um texto na cabeça e era sobre o “pézinho não subir”, quem assistiu O Diário da Princesa vai entender a referência, e o texto falaria sobre não ter problema se o pé não subir no primeiro encontro, você não é obrigada a se apaixonar a primeira vista. Mas ao enrolar para escrever, pensei que: se o pé não subir no primeiro, tente os próximos. Acredite, insista! Você pode ter uma surpresa mega agradável!

O remédio para essa essa doença atual é acreditar. E não digo nem em ter fé, porque isso vai de cada um. Também não é acreditar no outro, no boy magia ou na amiga, é acreditar em você, lembrar que você é capaz de sentir, de amar, de dar o seu melhor e assim receber o mesmo em troca. Lembre-se da lei da atração: se eu acredito que posso tentar, que posso dar amor a alguém, o universo conspirará a favor para que alguém apareça na mesma vibe que você e então você poderá transbordar. Demonstre, seja sincera, e mesmo que o pé não suba de primeira, se você acreditar que vale a pena, invista (num relacionamento saudável, claro), diga: “eu te quero, mas não estou pronta, vamos construir isso juntos?” Vai por mim, você perceberá que tudo ao seu redor se tornará melhor.

O amor é para os dispostos e para os fortes e o “se”, aaaaah, o “se” não muda nada!

Você Também Poderá Gostar

Comentários

Deixe seu comentário